Cadeia de frio: identifique os riscos e evite quebrá-la

14 Fevereiro 2020

A cadeia de frio em logística é um processo de manuseio que garante uma faixa de temperatura específica desde a fase de produção até a entrega do produto ao consumidor final. Quebrar a cadeia de frio pode gerar problemas de saúde pública, pois abre as portas para:

  • A deterioração prematura da mercadoria.
  • A perda das propriedades organoléticas (sabor, odor, textura, aparência, etc.).
  • A proliferação de bactérias e micro-organismos nocivos para o ser humano que se reproduzem com mais facilidade em ambientes relativamente temperados.

Portanto, contar com uma cadeia de frio ininterrupta é uma das principais obrigações do gestor logístico. Vejamos os produtos expostos a este risco e os pontos fracos da cadeia de fornecimento onde é preciso reforçar a vigilância.

As falhas na cadeia de frio que produtos afetam?

Os produtos mais sensíveis diante de uma hipotética quebra da cadeia de frio são, principalmente, três:

  • Alimentos perecíveis, como frutas e vegetais, carnes e pescados sem processar, nem congelar.
  • Alimentos congelados, incluindo tanto os frescos quanto os pré-cozidos.
  • Medicamentos termolábeis (que sofrem alterações devido ao calor), especialmente certas vacinas que devem ser mantidas refrigeradas para garantir a sua eficácia.

A cadeia de frio sofre maior risco de quebra em distintos pontos críticos

No âmbito das diferentes tarefas da cadeia de fornecimento em logística, passa por quatro fases críticas onde a probabilidade de quebra da aumenta, são elas:

1. Carga e descarga

A atividade de carga e descarga dos produtos alimentícios e farmacêuticos deve ser realizada o mais rápido possível para evitar sua exposição prolongada à temperatura ambiente ou à margem do intervalo estabelecido na cadeia de frio.

Por outro lado, quando a origem ou o destino da mercadoria for uma câmara de congelação, é recomendável utilizar um SAS (Security Airlock System) , ou seja, uma pré-câmara que previne as mudanças bruscas de temperatura e pressão e reduz a perda de frio no interior do espaço de conservação.

No caso dos produtos armazenados em câmaras refrigeradas, o importante é minimizar o risco de condensação da água, que ocorre quando o contraste entre a temperatura da câmara e do exterior for muito acentuada. Para isso, é necessário calcular o ponto de orvalho em função das circunstâncias do ambiente e regular de acordo com a temperatura da fase de pré-frio.

A cadeia de frio num armazém de frutas frescas é essencial para manter a frescura da mercadoria, por esse motivo evitar a quebra é primordial.
A cadeia de frio num armazém de frutas frescas é essencial para manter a frescura da mercadoria, por esse motivo evitar a quebra é primordial.

2. Armazenagem

O controle constante da temperatura na área de armazenagem é imprescindível para agir rapidamente diante de qualquer imprevisto suscetível que possa quebrar a cadeia de frio.

Para armazenar produtos congelados, a solução mais segura é oferecida pelas câmaras automatizadas, dotadas de:

  • Espaço para um plenum de ar , que favorece a circulação do mesmo na parte superior.
  • Suportes para os evaporadores, que permitem o movimento do ar a sua ascensão até o espaço plenum.
  • Um corredor elevado isolado para a manutenção dos evaporadores.

3. Transporte

Nos armazéns logísticos também é possível contribuir para a manutenção da cadeia de frio durante o transporte: mediante um Sistema de Gestão de Armazéns (WMS) que é coordenado diretamente com as agências de distribuição.

Por exemplo, o Easy WMS da Mecalux oferece um módulo denominado Multi Carrier Shipping Software, que conta com ligações compatíveis com os sistemas informáticos das principais empresas de transporte.

Dessa forma, é possível criar e imprimir as etiquetas dos volumes e fazer um monitoramento da transportadora na rota de distribuição: tudo isso com o objetivo de agilizar os processos, pois trata-se de um aspeto crucial ao fazer o transporte de mercadoria refrigerada.

4. Distribuição e venda

Embora os cuidados que devemos ter com a cadeia de frio tenham sido reforçados durante todo o processo de fornecimento, uma falha no último elo, o da distribuição e venda ao público, pode ser catastrófico.

Muitas vezes não basta manter o produto em frio também é necessário comprovar se a ventilação do expositor e a disposição dos elementos circundantes são adequadas. Se ocorrer um manuseio negligente da mercadoria nessa fase, a cadeia de frio poderá ser quebrada justamente antes da sua chegada ao consumidor final.

Agora que já conhece os pontos críticos da logística em que se pode quebrar a cadeia de frio, sugerimos que consulte os sistemas mais inovadores para controlar a temperatura do armazém. Descubra a forma de proteger corretamente os seus produtos alimentícios e farmacêuticos com a Mecalux.