Os processos de picking no armazém

15 Março 2021

Conhecer os processos de picking é o primeiro passo para otimizar uma das operações mais complexas e caras para qualquer armazém. A mudança nos hábitos de consumo, causou um aumento no número de pedidos e com a característica adicional de que muitos deles contam com poucas unidades por pedido.

Portanto, conhecer em detalhe os processos de picking é o primeiro passo para otimizar as operações envolvidas nessa ação visando a melhoria da produtividade global do armazém.

Fase 1: Planeamento prévio

Da mesma forma que ocorre com o recebimento de mercadorias, o planeamento prévio das tarefas de picking permite atribuir os recursos adequados a cada caso. Quanto mais padronizadas estiverem as unidades de carga e os processos, mais fluido será o picking. Essa ação ajudará, por exemplo, a atribuir o equipamento de movimentação adequado a cada ordem ou grupo de pedidos.

Como melhorar o planeamento do picking?

O uso de Sistemas de Gestão de Armazéns simplificou essa fase do picking, uma vez que o próprio software se encarrega de compilar e priorizar as ordens de pedido, além de regular a distribuição das tarefas na equipa de trabalho.

Fase 2: Percursos e deslocações

Entre os processos de picking, o que compreende as deslocações dos operadores em busca da mercadoria é o que mais tempo consome e, portanto, mais recursos.

Isso ocorre quando o picking é realizado seguindo o método homem ao produto. Os percursos abrangem:

  • Do ponto de partida à localização do primeiro produto.
  • Da localização do primeiro produto para a dos produtos subsequentes.
  • Retornar à área de operações para dar continuidade ao acondicionamento do pedido.

Como economizar tempo nas deslocações dedicadas aos processos de picking?

Para ganhar rapidez nessa fase do picking, o layout desempenha um papel primordial, uma vez que o armazém é projetado para facilitar as rotas e eliminar obstáculos.

Os meios de movimentação também são importantes, pois aceleram as deslocações, assim como a organização da recolha da mercadoria, que pode ser aperfeiçoada por um WMS. Outra opção é migrar para o modelo produto ao homem e passar o peso das transferências da mercadoria para sistemas automáticos.

Fase 3: Recolha ou extração da mercadoria

Pode parecer um assunto pouco importante, mas o tempo dedicado a recolher o produto será muito diferente se estivermos numa área rente ao solo ou em nível baixo, se ao contrário for necessário subir alguns metros em altura para alcançar a carga. Por outro lado, a maioria dos erros ocorre nessa fase do picking, sendo, portanto, fundamental extrair a mercadoria de forma precisa e segura.

Como aumentar a eficiência nessa etapa do picking?

Para garantir que essa fase da preparação de pedidos se desenvolva sem complicações é necessário:

  • Que o inventário corresponda ao que realmente existe nas estantes e não existam erros em relação às quantidades de mercadoria.
  • Que o operador recolha os produtos de forma rigorosa se o armazém funcionar com o método homem ao produto. Caso opere com um WMS, é preciso seguir as indicações dos terminais.
  • Que os equipamentos de movimentação recebam a manutenção correta.
  • Se a extração de cargas for realizada em grandes alturas, convém avaliar a instalação de sistemas automáticos como transelevadores para otimizar o uso do tempo e ganhar segurança. De fato, esse tipo de sistemas são capazes de realizar ciclos combinados, ou seja, aproveitar a deslocação a caminho da estante para depositar uma unidade de carga (reposição) e depois recolher a mercadoria indicada (picking).
Processos de picking: os transelevadores para caixas seguem o método produto ao homem e permitem automatizar a fase do picking dedicada a percursos e deslocações
Processos de picking: os transelevadores para caixas seguem o método produto ao homem e permitem automatizar a fase do picking dedicada a percursos e deslocações

Fase 4: Verificação e preparação do pedido para a sua expedição

Trata-se da última etapa do processo de picking e agrupa tarefas de acondicionamento dos produtos recolhidos para sua expedição. Estas são:

  • Verificação das unidades recolhidas em relação à quantidade e referência.
  • Acondicionamento do pedido: pesar, embalar, etiquetar.
  • Transferência do pedido para a área de expedição em função das rotas de transporte e distribuição.
  • Impressão do packing list ou das notas de entrega para as transportadoras.

Como aperfeiçoar o acondicionamento de pedidos?

Veja essas dicas que podem ajudar na realização dessa etapa do picking de uma forma mais ágil:

  • Uniformizar a embalagem e adaptá-la ao tipo de produto manuseado.
  • Etiquetar os pedidos e elaborar o packing list de acordo com os padrões das empresas de transporte, tal como o módulo Multi Carrier Shipping Software da Mecalux permite fazer.

Essas são as principais fases do processo de picking que se acontecem em todo o armazém. A grande diferença entre uma operação e outra é o método de picking e preparação de pedidos. Na qual cada fase é abordada numa ordem diferente e com particularidades adaptadas às necessidades específicas de cada armazém.