Principais métodos de preparação de pedidos no armazém

05 Fevereiro 2020

O processo de recolha da mercadoria (picking) e o seu acondicionamento para a expedição estão entre as operações realizadas no armazém que mais tempo e esforços exigem. Existem diferentes tipos de preparação de pedidos: como saber qual é o mais adequado para o nosso armazém? Vejamos a classificação dos tipos de picking e os aspectos que devemos considerar antes de optar por algum deles.

Quais são os objetivos que queremos conseguir com o picking?

O objetivo final que se busca nas tarefas de picking é reduzir o tempo destinado a tal atividade, para assim poder oferecer um serviço mais eficiente (reduzindo os prazos de entrega) e, ao mesmo tempo, diminuir o seu peso nos custos operacionais do armazém, onde tempo é dinheiro.

A escolha do tipo de picking será a adequada se o que buscamos é:

  • Reduzir os percursos dos operadores graças a um layout correto e a uma boa estratégia de zoneamento de inventário (slotting).
  • Diminuir o número de operações e o tempo que o trabalhador demora para realizá-las.
  • Alcançar a precisão de erro zero.
  • Manter uma rotatividade de stock precisa: por exemplo, considerando critérios FIFO/LIFO e manter um controle constante sobre o mesmo através do uso de um WMS.

Área de preparação de pedidos

1. Preparação de pedidos de acordo com a direção das mercadorias

Os dois grandes paradigmas do picking são aqueles que seguem o esquema homem-produto (man-to-goods) e produto-homem (goods-to-man):

  • Produto-homem: é a base sobre a qual se assenta a instalação de sistemas de armazenagem e picking automatizados. Máquinas como os transelevadores recolhem o produto a fim de levá-lo para o operador. São utilizadas nos armazéns que exigem um alto número de ordens processadas por dia. Exige um custo de investimento inicial mais elevado.
  • Homem-produto: trata-se da operação mais utilizada quando nos referimos a um tipo de picking manual auxiliado por equipamentos de movimentação como recolhe-pedidos ou empilhadores. A sua vantagem fundamental é que tem um custo de investimento inicial baixo.
O método de preparação de pedidos produto-homem utiliza sistemas automáticos
O método de preparação de pedidos produto-homem utiliza sistemas automáticos

2. Picking de acordo com a localização nos níveis das estantes

Dependendo de onde esteja localizada a mercadoria nas estantes, temos os seguintes métodos de preparação de pedidos:

  • Preparação de pedidos no solo: se a mercadoria estiver num único nível rente ao solo.
  • Preparação de pedidos em níveis baixos: cobrem a estatura de um operador.
  • Preparação de pedidos em níveis médios: não ultrapassam os 3,5 ou 4 metros em altura.
  • Preparação de pedidos em níveis altos: adaptam-se à altura completa das estantes.

Falamos extensamente de cada um deles no nosso Manual Técnico de Armazenagem.

3. Métodos de preparação de pedidos de acordo com a forma de recolher os produtos

A preparação de pedidos pode ser realizada em ordem e fases diferentes:

  • Pedido por pedido: trata-se do procedimento de picking básico. O operador extrai um produto e em seguida o pedido é diretamente preparado. Costuma ser utilizado para pedidos que incluem grandes volumes de uma mesma mercadoria.
  • Picking por ondas ou em grupo: neste caso, o processo de picking é dividido em duas fases. Primeiro todos os produtos são recolhidos e colocados em estantes de picking e, em uma segunda etapa, os pedidos são embalados e acondicionados de forma individual. Dessa forma, é possível preparar simultaneamente vários pedidos. É o método mais seguido quando muitas referências são manuseadas e cada uma delas leva pouca mercadoria. Esse é um dos métodos normalmente recomendados como estratégia geral para melhorar o picking.
  • Picking por áreas: é um método de preparação de pedidos que organiza as ordens de picking em função da sua localização no armazém. Como no caso anterior, vários pedidos são processados ao mesmo tempo.

Critérios que devemos considerar para escolher o método de preparação de pedidos

A escolha do método de preparação de pedidos está diretamente relacionada aos seguintes fatores:

  • Custo de investimento inicial: evidentemente, cresce conforme analisamos soluções mais automatizadas. No entanto, o custo de investimento inicial não deve ser um obstáculo: o ROI do projeto será um parâmetro fundamental a ser considerado.
  • Custo de manuseio: dependerá do tipo de mercadoria com a qual lidamos, pois, isso depende do custo de manuseio por artigo.
  • Capacidade de manuseio: é referente ao número de ordens que podem ser processadas por dia ou outra unidade de tempo (horas, semanas, anos, etc.).
  • A superfície de armazenamento em uso: tem relação direta com critérios como a largura dos corredores, a altura das estantes, os pisos que o armazém, entre outros fatores.

Escolher o método mais adequado de preparação de pedidos é uma decisão fundamental que tem um impacto direto nos custos operacionais da instalação. Se quiser que coloquemos a nossa experiência em logística de armazenamento à sua disposição, não hesite em entrar em contato conosco: teremos muita satisfação em poder ajudá-lo.