Utilizamos cookies próprias e de terceiros para oferecer os nossos conteúdos em função dos seus interesses. Se continua a navegar nesta págima Web, entende-se que foi informado e aceita a instalação e uso de cookies. Para mais informação, consulte a nossa Política de Cookies. Aceitar

Código de barras e sistemas de identificação automática na logística

A aplicação da tecnologia no armazém, por exemplo, o código de barras na logística da instalação, não se limita à gestão das instalações, das mercadorias e da comunicação com os operários. Tal tecnologia é também utilizada na identificação dos artigos manuseados. 

Atualmente, a grande maioria dos produtos tem um código de barras gravado. impresso ou incorporam um chip RFID (identificador que utiliza a radiofrequência para transmitir os dados). Os dois sistemas permitem identificar cada unidade gerida no armazém através de leitores a laser ou por radiofrequência, respetivamente.

Código de barras no armazém

A identificação automática com a ajuda de códigos de barra na logística de artigos num armazém agiliza as operações de picking

 

Esses códigos seguem rigorosas regras padronizadas de uso geral, que permitem identificar dados como o produto em questão, o seu fabricante, a sua rastreabilidade, os seus dados logísticos e as suas características específicas. Entender como funcionam essas identificações é fundamental para compreender algumas das operações realizadas hoje em dia num armazém.

O código de barras na logística

Esse tipo de sistema de identificação consiste na impressão gráfica de barras em etiquetas (que depois serão coladas nos artigos) ou nas próprias embalagens ou invólucros. A criação dessas barras segue padrões de codificação homologados que atualmente são o EAN-13 e o EAN-128.

Exemplo de uma etiqueta com código de barras EAN-13 que permite identificar o produto

Exemplo de uma etiqueta com código de barras EAN-13 que permite identificar o produto

Quando as barras são digitalizadas (lidas) com um leitor de código de barras a laser, este interpreta os dados e passa as informações ao sistema de gestão. Esse sistema de etiquetagem é utilizado para identificar, além dos artigos, as localizações das estantes, bem como as paletes ou contentores.

Todos os sistemas automáticos, tanto de gestão como de movimento, precisam ter esses códigos para estabelecer a comunicação dos dados da carga que está a ser manuseada.

Exemplo de uma etiqueta com código de barras EAN-128, através do qual se identifica a palete, o produto que contém e as características do mesmo.

Exemplo de uma etiqueta com código de barras EAN-128 através do qual

se identifica a palete, o produto que contém e as características do mesmo.

Codificação por RFID

Há alguns anos está a ser introduzido um tipo de identificação de produtos por radiofrequência, que inclui aderir um chip ao produto. Quando essa etiqueta estiver num raio de ação de uma antena especial, as informações contidas no chip são lidas de forma automática.

A grande vantagem desse sistema consiste na grande rapidez de leitura, pois, entre outras coisas, não é necessário que a etiqueta aponte para uma determinada posição do sistema de leitura. No âmbito da armazenagem, o seu principal benefício reside na facilidade que oferece no momento de identificar a posição das unidades armazenadas nas suas respetivas localizações.

La grande vantagem do RFDI face a outros sistemas, como o código de barras, é a sua velocidade de leitura

La grande vantagem do RFDI face a outros sistemas, como o código de barras, é a sua velocidade de leitura.

 

1. Contato

2. Condensador

3. Microchip: dispositivo que armazena as informações sobre o produto.

4. Antena transmissora: pode ser de baixa frequência, emitindo ondas de rádio até 2 metros de distância (em média) ou de alta frequência, cuja capacidade de transmissão pode chegar a 100 metros de distância.

Other topics in this category