Agrupamento de produtos em unidades de carga maiores

Existem alguns produtos que não estão sujeitos a limites físicos para serem manipulados (por exemplo, artigos entregues a granel) e que, portanto, podem ser agrupados numa grande variedade de unidades de carga de todos os tamanhos. Essa característica leva, em primeiro lugar, a uma maior economia no seu transporte.

Como um dos principais objetivos da gestão da mercadoria é reduzir o número de movimentações ao mínimo indispensável, é conveniente e desejável gerar uma unidade de carga que seja o maior possível.

O problema que pode surgir é que, se a produção desses produtos for frequentemente realizada de maneira maciça ou em grandes lotes e forem utilizadas unidades de carga com o maior tamanho possível considerando a capacidade de manuseamento, a sua distribuição pode estar sujeita a diversas necessidades relativamente ao tamanho mais adequado das cargas. Não há dúvidas que, na grande maioria dos casos, o manuseamento de grandes cargas facilita o processo de armazenagem.  No entanto, são muito frequentes os casos em que os produtos entram num armazém com um determinado tamanho de carga e saem da instalação em unidades muito menores. 

Uma forma de usar ambos os critérios seria gerar uma unidade de carga pequena para que seja possível manuseá-la individualmente, mas que, ao mesmo tempo, também seja adequada para ser manipulada depois de agrupada, reduzindo assim os custos. 

Devido a todas essas questões, surge a necessidade de considerar todos os elementos de um sistema de manuseamento de materiais com uma perspetiva conjunta e, portanto, como primeira medida, analisar mais a fundo a resistência e a estabilidade das cargas.

 

palete

Palete

Contentor

 

Paletes e contentores: questões gerais

Um dos elementos fundamentais no momento de tratar das unidades de carga é aquele que, em muitos casos, serve de suporte para agrupar os artigos que serão armazenados. 

São denominadas paletes ou pallets os suportes que consistem numa plataforma sobre a qual se deposita a mercadoria e denominam-se contentores os recipientes ou embalagens em cujo interior a carga é acondicionada. Os dois são os meios auxiliares utilizados para poder constituir, movimentar e armazenar as unidades de carga e os produtos. 

É essencial dar a devida atenção a tais elementos, pois as suas formas, medidas, resistência e materiais com os quais foram fabricados, nem sempre são os adequados para os diversos sistemas de armazenagem, pois exigem ferramentas ou acessórios complementares para facilitar a sua colocação nas estantes. Da mesma forma, as suas características também influenciam os meios de transporte e a sua manipulação.

Através deste manual, iremos rever as modalidades mais comuns de paletes e contentores, mas é importante deixar claro que existem modelos específicos para necessidades concretas que, no momento de projetar a instalação, exigirá conhecer antecipadamente as especificações relativas à sua forma, medidas, materiais, etc. A construção, as dimensões e a qualidade das paletes e contentores, bem como a medida da carga, o seu empilhamento, etc., são fatores que influenciam diretamente a solução proposta no projeto de um armazém.

Avaliar de forma correta os dados correspondentes à unidade de carga (neste caso, a palete ou contentor) é essencial para conseguir a solução logística ideal que corresponda às necessidades concretas do cliente a qualquer nível e que funcione sem contratempos. 

Other topics in this category