O dock to stock começa quando a mercadoria é recebida nas docas de carga e termina quando é armazenada nas estantes

Dock to Stock: a eficiência começa no cai de carga do armazém

26 Julho 2021

Quanto tempo é necessário para armazenar a mercadoria que acaba de chegar no armazém? Este processo, denominado dock to stock (em português, do cai de carga ao armazém), refere-se a todas as operações que se interpõem entre a receção e a armazenagem da mercadoria. Otimizar esse tempo é o primeiro passo para ter uma operação logística eficiente.

Neste artigo iremos analisar a importância desse processo e as suas fases. Também explicaremos como podemos automatizar o dock to sttock tanto quanto possível, reduzindo assim o tempo de ciclo.

O que é 'Dock to Stock'?

O dock to stock refere-se ao processo que se inicia quando o armazém recebe a mercadoria nos cais de carga e termina quando ela é armazenada nas estantes. Ao longo desta operação ocorre uma série de fases que determinam a eficiência do centro logístico.

Dentro todos os processos, o mais complexo é a gestão de stock, que inclui a validação e inclusão da nova mercadoria. Na verdade, a maioria dos armazéns atualmente usa um SGA para agilizar essa operação.

Quanto tempo pode demorar para um armazém colocar a mercadoria nas estantes após recebê-la? Segundo dados da organização americana American Productivity & Quality Center (APQC), os armazéns mais competentes precisam de menos de quatro horas no processo dock-to-stock, enquanto outros centros logísticos gastam até 48 horas.

Procedimento 'Dock to Stock'

Estas são as operações internas que participam diretamente, desde o momento em que o armazém recebe a mercadoria nos cais de carga até ao seu stock nas estantes:

  • Receção: camiões com mercadorias das fábricas ou fornecedores chegam os cais de carga. As paletes são descarregadas do camião e colocados temporariamente no solo. 
  • Validação da mercadoria: verifica-se se o fornecedor ou a fábrica enviou os artigos nas quantidades adequadas e se encontram em bom estado. Ao mesmo tempo, a mercadoria obedece às especificações físicas estabelecidas.
  • Atualização de stock: todos os materiais recebidos devem ser incluídos no inventário do armazém.
  • Armazenagem: a mercadoria é depositada na unidade de carga (palete, caixa ou contentor) e no respetivo sistema de armazenagem, atendendo aos critérios da rotação de stock.

Qualquer incidente ou atraso nas etapas da operação tem um impacto negativo no tempo do cai de carga ao stock.

Como encurtar o tempo do dock to stock?

Diminuir o tempo de ciclo necessário para concluir o processo de dock to stock é essencial se queremos alcançar uma cadeia logística eficiente. Ao longo do processo intervêm uma série de elementos que, se otimizados, melhoram o desempenho no tempo do cai de carga ao stock. Para isso, as seguintes premissas devem ser consideradas:

  • Layout de armazém: a área do cais de carga deve estar preparada de forma a receber os camiões de forma ágil e ininterrupta e que não tenham que esperar para descarregar. Também é importante definir a área destinada à praia do armazém para depositar as paletes no solo.
  • Reduza o movimento dos funcionários: a distância física que os operadores percorrem durante as operações é diretamente proporcional ao tempo do cai de carga ao stock. Definir a ordem e centralizar as tarefas de receção ajuda a otimizar o trajeto interno dos operadores.
  • Acelerar a gestão da informação: esta é sem dúvida a operação mais trabalhosa e importante de todas, já que os erros nesta área afetam a gestão integral do stock. A implementação de um SGA é a melhor solução para acelerar este processo.
  • Automação: ter equipamentos de movimentação e sistemas de armazenagem automático reduz o tempo de ciclo do dock to stock. Na realidade, todas as operações que participam desse processo podem ser automatizadas.
  • Cross-docking: a gestão adequada do stock permite-nos saber se um produto que acabamos de receber deve ser armazenado ou não. O cross-docking impede-nos de perder tempo em tarefas de armazenagem que são dispensáveis.

Em linhas gerais, se queremos reduzir o tempo de ciclo do dock to stock, é essencial realizar boas práticas logísticas, cuidando de todos os elementos que participam.

As plataformas de descarga automática agilizam a transferência de mercadorias do camião para a área de recebimento
As plataformas de descarga automática agilizam a transferência de mercadorias do camião para a área de receção

Dock to Stock automatizado

Equipamentos de movimentação e sistemas de armazenagem automático ajudam a minimizar o tempo do dock to stock. Hoje, esse processo pode ser automatizado do início ao fim.

Cada empresa deve avaliar, dependendo das suas necessidades, se é mais lucrativo robotizar todo o processo ou alguma das operações utilizando elementos como plataformas de descarga automática, transportadores, postos de inspeção de entrada e transelevadores.

A automação permite que o armazém opere 24 horas, 7 dias por semana, sem interrupção. A redução de erros, portanto, de custos, é outra das principais vantagens. A robotização reduz drasticamente as falhas derivadas da gestão manual, garantindo a máxima eficiência em todas as operações em que participa. Resumindo, a automação "dock-to-stock" é uma das soluções mais eficazes para aumentar a produtividade, melhorar a qualidade do serviço e minimizar os custos operacionais do armazém.

Software para 'Dock to Stock'

Os sistemas de gestão de armazém, como Easy WMS, ajudam a aumentar o desempenho de todas essas operações. Além de ler e verificar os itens, colocá-los em stock e atribuir-lhes uma localização de acordo com as estratégias de rotação, o SGA pode saber com antecedência os itens a serem recebidos (ASN, Advanced Shipping Notifications).

Desta forma, e com os dados já inseridos no sistema, podem ser desenvolvidas estratégias de receção direcionadas a contentores cheios, mercadoria multirreferência ou mesmo conferência cega.

O Easy WMS oferece diversos módulos para adaptar o software as necessidades logísticas, permitindo melhorar drasticamente o processo de dock to stock. É o caso do Supply Chain Analytics, que segmenta e classifica uma grande quantidade de dados diários para transformá-los em informações úteis. Este software cria KPIs personalizados, como: receções por hora, percentagem de mercadoria danificada, ocupação de armazém, entre outros dados.

Os postos de inspeção de entrada agilizam as tarefas de validação e introdução do stock no inventário
Os postos de inspeção de entrada agilizam as tarefas de validação e introdução do stock no inventário

O primeiro passo para um armazém eficiente

O dock to stock é o primeiro desafio logístico que um armazém deve resolver antes de realizar o resto das operações. É impossível preparar pedidos e enviá-los para chegar ao cliente a tempo se houver problemas de receção, gestão de stock ou armazenagem.

Não é possível começar a construir uma casa pelo telhado, assim como não se pode conseguir uma entrega de pedidos bem-sucedida sem um processo eficiente de receção e armazenagem. Por este motivo, se tiver algum problema de comunicação com os seus fornecedores, de gestão de stock ou do critério de rotação para armazenagem de mercadorias, não hesite em entrar em contato com a Mecalux para que possamos aconselhá-lo e ajudá-lo a otimizar as suas operações logísticas.