Principais riscos no armazém: saiba como preveni-los

09 Fevereiro 2020

Diariamente tanto os trabalhadores quanto o stock de mercadorias estão expostos aos riscos no armazém. Parte fundamental da gestão de um centro logístico é conhecer os principais riscos que existem no armazém e adotar medidas para a sua prevenção e, assim garantir a segurança dos funcionários e a manutenção do stock.

Apontamos os 10 principais riscos que afetam os operadores e analisamos também as principais ameaças que poderiam colocar em perigo a mercadoria.

Riscos no armazén: o que os operadores podem enfrentar?

A formação dos trabalhadores, as inspeções periódicas, a prevenção, o comportamento responsável e uma correta manutenção das instalações são cruciais para garantir a segurança no armazém. Tudo isso ajudará a evitar ou minimizar a gravidade dos seguintes fatores de risco para os trabalhadores do armazém.

1. Incêndios

Os incêndios no armazém podem ser causados por um terremoto, pela combustão incontrolada de substâncias inflamáveis ou pela acumulação de vapores, entre outros fatores desencadeantes. A sua propagação é favorecida pela proliferação de elementos de papelão, plástico ou madeira.

2. Quedas

Um dos acidentes mais comuns são as quedas:

  • Quedas ao mesmo nível: causadas por quedas num solo sujo ou tropeções com elementos incorretamente situados.
  • Quedas em diferentes níveis: acontecem desde escadas, empilhadores ou elevadores.

3. Pancadas e atropelamentos

A ineficiência na colocação dos diferentes elementos do armazém, uma iluminação deficiente ou a falta de limpeza podem provocar choques dos operadores com objetos imóveis. Também existe o risco de colisões e atropelamentos em zonas que transitem equipamentos de movimentação como porta paletes, empilhadores e outros veículos.

Graças à precisão dos sistemas automáticos é possível evitar riscos por pancadase atropelamentos
Graças à precisão dos sistemas automáticos é possível evitar riscos por pancadase atropelamentos

4. Cortes

A utilização de ferramentas afiadas ou pontiagudas como navalhas e facas, assim como o contato com as arestas das caixas, podem ocasionar cortes ou furos acidentais.

5. Queda de objetos

Mercadorias mal empilhadas, estantes pouco sólidas, acidentes durante o manuseio de cargas em altura e impactos ao nível do solo são os responsáveis pela queda de objetos em diferentes alturas.

Uma das formas de prevenir eventuais quedas é fazer periodicamente uma inspeção técnica das estantes que certifique o bom estado destas ou identifique possíveis falhas para corrigi-las a tempo, antes que ocorra qualquer acidente.

6. Contato com substâncias nocivas para a saúde

Nos armazéns podem existir substâncias químicas e tóxicas que, por inalação ou contato cutâneo, podem desencadear problemas de saúde. Por isso, é imprescindível armazená-las sempre em recipientes fechados e manuseá-las com os EPIs adequados.

7. Esforço excessivo

Levantar um peso excessivo ou realizar tarefas repetitivas são fatores de risco físico que acabam em contraturas, patologias musculares, ósseas e dores que podem ser, em último caso, incapacitantes.

8. Risco elétrico

O contato com qualquer elemento da instalação elétrica em mau estado (tomadas, fios, quadros de luz, etc.) pode gerar eletrocussões e queimaduras.

9. Congelamento

O principal risco em armazéns frigoríficos é o de congelamento por uma exposição excessiva ao frio ou pelo uso deficiente dos equipamentos de proteção.

10. Utilização imprudente dos equipamentos

Seja por distração ou devido à prática inadequada, existem riscos no armazém que têm relação com a imprudência no uso de equipamentos como:

  • Manuseio de empilhadeiras, transpaleteiras, caminhões e vans.
  • Os equipamentos de proteção individual (EPI).
  • Ferramentas e aparelhos eletrónicos.

Riscos no armazén: o que pode danificar a mercadoria armazenada?

Os riscos existentes no armazém que podem estragar ou inutilizar a mercadoria são:

1. Risco de incêndio

Caso aconteça um incêndio devido à combustão de uma substância inflamável, é importante é evitar sua propagação e extingui-lo quanto antes para que as perdas de stock sejam mínimas.

2. Risco de inundação

Fenómenos meteorológicos extremos ou um cano estragado podem causar uma inundação no armazém, danificando sobretudo o stock empilhado ao nível do solo. Monitorar qualquer alteração na humidade do ar é vital para detetar quanto antes a entrada de água nas instalações e adotar as medidas necessárias a tempo.

3. Risco de corte elétrico

Os cortes no fornecimento elétrico são letais em armazéns frigoríficos e naqueles que a conservação dos produtos depende da manutenção de condições ambientais estáveis. O seu impacto pode ser minimizado com a instalação de geradores alternativos para restabelecer temporariamente a corrente caso ocorra problemas na rede geral.

4. Risco de deterioração devido a um manuseio incorreto

Os próprios processos de carga, empilhamento e picking constituem um fator de risco para a mercadoria, que pode sofrer atritos e arranhões e, inclusive, quebrar durante os processos de manipulação e movimentação.

5. Risco de deterioração devido a uma gestão deficiente do stock

Finalmente, cometer erros na classificação e na marcação dos produtos, ou na sua rotatividade (seja esta FIFO ou LIFO), faz com que certos lotes fiquem esquecidos em algum canto do armazém e consequentemente se deteriorem devido à passagem do tempo e por não terem sido encaminhados para expedição no momento adequado. Um inconveniente que pode ser prevenido com um software de gestão de armazéns como o Easy WMS.

Estar ciente dos riscos existentes nos armazéns é o primeiro passo para determinar os sistemas de segurança necessários para preveni-los. Fique atento ao nosso blog e faça do armazém um lugar eficiente e seguro.