As três novas instalações de armazenagem da Decathlon em Itália estão orientadas para o comércio electrónico

D2C: a vantagem de vender diretamente da fábrica para o cliente

07 Dezembro 2021

O D2C (Direct to Consumer, ou Direto ao Consumidor) tornou-se uma solução comum para maximizar os lucros dos fabricantes, pois eliminar intermediários reduz custos.

Na verdade, essa tendência não beneficia apenas os empresários: um estudo da consultoria Multi Channel Merchant indica que 52% dos consumidores norte-americanos preferem comprar os produtos diretamente do próprio fabricante.

Neste artigo apresentamos o que é o canal de vendas D2C aplicado à indústria e quais são as vantagens de ter um armazém D2C. Da mesma forma, destacamos as melhores soluções para implantar este canal de vendas num centro logístico.

O que é o D2C? Aplicação na logística

O modelo de venda Direct to Consumer (D2C) é aplicado por aqueles fabricantes que vendem os seus produtos diretamente ao consumidor final, sem a necessidade de intermediário, seja por meio de vendedor interno, website próprio ou ponto de venda.

Normalmente, existe uma tendência de confundir o canal de vendas B2C (Business to Consumer) com o D2C. Apenas um pequeno esclarecimento: todo canal de vendas D2C é B2C (pois vende para o consumidor), mas não o contrário, já que nem todos os B2C são fabricantes (a maioria age como intermediário).

Aplicada à logística, a implantação de armazéns D2C é uma prática bastante difundida. São instalações que complementam a função de armazenagem e preparação de pedidos com venda direta ao público. Noutras palavras, essa categoria abrange as empresas fabricantes que vendem ao cliente final pela internet ou a partir de um ponto de venda físico localizado no seu próprio armazém.

Um exemplo deste tipo de canal de venda são os showrooms, ou seja, espaços que permitem aos clientes ver o produto in loco nas instalações do fabricante. A Mecalux, por exemplo, possui dois showrooms na sua sede em Barcelona.

Por sua vez, o e-commerce também ofereceu a oportunidade para as empresas de manufatura venderem os seus próprios produtos por meio de um website ou até mesmo nas redes sociais. Nestes casos, os armazéns adaptaram-se a uma preparação mais complexa de pedidos, tendo que lidar, por exemplo, com a logística reversa (devoluções aos clientes).

Vantagens de ter um armazém D2C

Além de aumentar a lucratividade de uma empresa, abrir um canal D2C no armazém permite:

  • Ter um leque maior de oportunidades: adicionar o seu próprio ponto de venda no armazém facilita a venda de produtos por mais canais, o que resulta num maior lucro para a empresa.
  • Melhorar a interação com o cliente: o modelo D2C permite controlar melhor a relação entre o fabricante e o cliente, possibilitando gerir a experiência do início ao fim e conhecer em primeira mão o seu nível de satisfação.

Soluções para adotar o modelo D2C

O canal D2C abriu a possibilidade para as empresas de produção eliminarem intermediários e venderem seus produtos diretamente ao cliente final. Mas, como ter um ponto de venda?

  • Showroom: o armazém D2C incorpora uma área de vendas aberta ao público nas instalações para que o cliente possa ver o produto no local.
  • Pop-up store: as empresas podem contar com lojas temporárias de baixa complexidade para vender as suas mercadorias ao cliente final, por exemplo, durante campanhas de alta procura.
  • E-commerce: é comum a adoção de um canal de vendas online para maximizar a venda dos produtos. Mesmo assim, esse método obriga a solucionar dificuldades como a gestão da last mile ou o padrão de entrega em 24 horas.
  • Redes sociais: as empresas podem complementar a sua loja online com vendas nas redes sociais (no Instagram ou Facebook, por exemplo).

O SGA como ferramenta para implementar D2C

Para multiplicar a produtividade e reduzir os erros que ocorrem durante a atividade de logística, toda a empresa deve contar com um sistema de gestão de armazém ou SGA. Assim complementará o trabalho dos operadores, especialmente em tarefas como a gestão das localizações, o fluxo de mercadorias ou a preparação de pedidos.

No caso do Easy WMS, o sistema de gestão de armazéns da Mecalux, possui múltiplas funções-chave para um armazém adaptar a sua atividade ao canal D2C, entre outras, a gestão de kits, os perfis de receção e expedição ou as estratégias de realocação no picking.

Além disso, Easy WMS da Mecalux possui módulos adicionais que garantem a eficiência do canal D2C: Store Fulfillment (para a integração entre o armazém e os diferentes pontos de venda), SGA para e-commerce (para preparação de pedidos de e-commerce) ou SGA para Produção (para controlar o stock de matéria-prima na produção).

O novo armazém da Interlake Mecalux para a Adidas abrirá um canal de vendas D2C nas instalações da empresa

O novo armazém da Interlake Mecalux para a Adidas abrirá um canal de vendas D2C nas instalações da empresa

Os armazéns D2C, um modelo em ascensão

Em suma, as empresas têm apostado progressivamente na abertura de um canal comercial D2C nos seus armazéns. Isso pode ser feito por meio de um e-commerce ou uma área de vendas no próprio armazém. Tudo isso sem abrir mão de outros modelos de negócios como o B2B (com intermediários).

Mesmo assim, incorporar esse modelo não é uma tarefa fácil: as empresas devem de se adaptar aos desafios colocados pelas novas tendências de consumo. Na Mecalux somos especialistas na implementação de soluções de armazenagem D2C em empresas líderes, como a Decathlon ou a Adidas. Entre em contato connosco e um dos nossos consultores especializados irá oferecer-lhe a solução mais adequada para o seu negócio.