A elaboração de ‘picking lists’ para evitar erros no armazém

15 Abril 2020

As listas de picking, picking lists ou pick lists são utilizadas para organizar a sequência da recolha dos produtos que formarão os pedidos dos clientes no armazém. Trata-se de um documento que costuma ser de uso interno (na maioria dos casos o cliente nunca chegará a vê-lo), mas é de grande utilidade para os operadores.

A elaboração das picking lists e das informações que contêm depende em grande medida do método de picking aplicado e do equipamento que o armazém tiver. No nosso artigo analisamos as informações que devem conter e as vantagens proporcionadas por um sistema de gestão de armazém que possa configurar as listas de picking de forma automática.

Que informações devem conter as picking lists?

O objetivo das picking lists é refletir todos os dados do pedido do cliente e indicar ao operador sua localização no armazém para que o possa recolher na ordem adequada. Geralmente as listas de picking devem conter as seguintes informações:

- Número de ‘picking list’

Cada lista de picking deve ter um número identificativo único, para evitar duplicidades e facilitar o registo de um histórico de listas de picking.

- Informações do cliente:

Não se trata de um dado crucial para fazer picking corretamente, mas é verdade que facilita a identificação dos pedidos e a sua verificação, especialmente se o picking dos diferentes produtos que compõem o pedido for feito por distintos operadores. Por exemplo, como ocorre no método de picking por lotes ou batch picking.

- Dados sobre a ordem de pedido do cliente:

Cada ordem de pedido conta com uma numeração que a identifica, além de haver outras informações como a data de pedido, códigos de barra para scaneá-lo ou a doca de expedição atribuída.

- Informações sobre os produtos a recolher:

É a pedra angular de qualquer picking list e abrange:

  • Os números de referência ou SKU (stock keeping unit) vinculados a cada produto.
  • Descrição do produto: se o documento da lista de picking incluir uma breve descrição ou foto, isso vai facilitar o processo, assim como os erros no picking serão minimizados. Dependendo das características do stock armazenado, é fundamental especificar dados adicionais como o tamanho ou a unidade de medida (por exemplo, se for um produto individual ou uma caixa com X unidades).
  • Quantidade de unidades para recolher de cada SKU: se o armazém estiver dotado de um software de gestão de armazém, a quantidade que aparece na lista de picking vai sendo atualizada à medida que o picking for sendo completado.
  • Informações sobre a localização dos produtos no armazém: a organização das listas de picking deve considerar a localização de cada artigo no armazém para assim poder otimizar as deslocações dos operadores, reduzir as rotas e planear a preparação do pedido a tempo para a sua expedição.
Os contentores vinculados às listas de picking com apenas uma única identificação facilitam o registo das informações no WMS
Os contentores vinculados às listas de picking com apenas uma única identificação facilitam o registo das informações no WMS

Gestão de ‘picking lists’ com um WMS

Como são organizadas as picking lists com um sistema de gestão de armazém? Podemos pegar como exemplo o software Easy WMS da Mecalux: as listas de picking fazem parte da área destinada às tarefas no armazém. Essas funcionalidades organizam: processos de reposição e abastecimento, picking e packing, também conhecidos como a preparação de pedidos para a expedição.

No âmbito dos movimentos de picking existe uma grande flexibilidade de configuração do software. Dessa forma, podem ser elaboradas listas de picking de forma manual, semiautomática ou completamente automatizada em função dos parâmetros logísticos inseridos no sistema. Inclusive se a picking list for fruto dessa seleção automática, o operador poderá fazer mudanças manuais nela, como saltar tarefas e anotar comentários.

A criação de picking lists automáticas é ativada com a chegada das ordens de pedido dos clientes. O programa Easy WMS recolhe as informações de todas elas e reorganiza os produtos a recolher cruzando uma grande quantidade de dados (layout do armazém, prioridade de envio, método de picking, número de operadores, etc.). Uma vez decidida a sequência, o software atribui um contentor onde as mercadorias indicadas na lista de picking serão depositadas temporariamente até sua expedição.

O Easy WMS regista todos os movimentos de stock que vão ocorrendo e a localização do produto a cada momento. Além disso, é possível imprimir as listas de picking como suporte extra para os operadores. Também podem trabalhar sem papel através de dispositivos de picking integrados no WMS (por exemplo, de picking por voz ou terminais de radiofrequência com telas).

Se desejar ver uma demonstração prática de como um WMS pode agilizar e organizar a elaboração de picking lists, entre em contato conosco: um dos nossos especialistas mostrará todas as possibilidades de configuração.