A rastreabilidade interna garante a qualidade e a segurança no armazém

20 Agosto 2021

Ter um sistema de rastreabilidade interna é essencial em qualquer armazém. A segurança e a qualidade das mercadorias são fatores cada vez mais valorizados pelos fornecedores e consumidores, que querem saber por qual fase passa cada produto.

Neste artigo, explicaremos o conceito de rastreabilidade interna, como ele difere da rastreabilidade do produto e, acima de tudo, sublinhamos o que deve ser levado em conta para garantir a qualidade do produto quando ele sai do armazém.

O que é rastreabilidade interna?

A rastreabilidade interna (também conhecida como rastreabilidade de processos) é baseada no conceito de rastreabilidade de produtos. Lembramos: o conjunto de ações, medidas e procedimentos que tornam possível registar e identificar um produto e as etapas pelas quais ele passou dentro da cadeia de abastecimento.

Neste sentido, a rastreabilidade interna refere-se ao acompanhamento das mercadorias no armazém ou na fábrica. Isto abrange desde a lista de materiais (BOM), que compõe o produto, e o equipamento de movimentação utilizado, medidas relacionadas ao manuseio e a produção. Em contraste, o conceito de rastreabilidade externa refere-se a troca de informações e produtos entre os diferentes elos da cadeia de abastecimento.

A rastreabilidade implica a sincronização de informações entre todos os elos da cadeia de abastecimento
A rastreabilidade implica a sincronização de informações entre todos os elos da cadeia de abastecimento

A rastreabilidade interna tornou-se um requisito logístico essencial, especialmente em setores sensíveis à qualidade e à segurança do stock. Por exemplo, os setores alimentar e farmacêutico. Por este motivo, cada vez mais clientes e fornecedores estão a exigir controlo sobre o histórico de produção, armazenagem e recolha de pedidos.

Rastreabilidade interna: como aplicá-la no armazém?

Para manter um registo constante e útil da passagem das mercadorias no armazém é necessário implementar um sistema de rastreabilidade interna que monitorize o caminho de um produto à medida que ele passa pelo armazém.

Que elementos devem ser considerados para implementar um plano de rastreabilidade interna que garanta o acompanhamento de um produto apesar das múltiplas operações às quais ele é submetido?

  • Registo nos sistemas de comunicação interna: o gestor de logística deve sincronizar todos os dispositivos e áreas da instalação a fim de garantir a comunicação correta dos dados de um produto em diferentes etapas. A automação progressiva dos centros logísticos, incorporando códigos de barras nas etiquetas de cada unidade de carga, simplifica este trabalho.
  • Disponibilização de procedimentos para a localização de erros: o plano de rastreabilidade interna deve ter mecanismos para identificar erros nas diferentes operações, localizar os produtos que estiveram envolvidos nestes processos e removê-los o mais rápido possível.
  • Conhecimento das normas atuais: a empresa deve basear seu planejamento na legislação atual, tanto em termos de rastreabilidade (ISO 9001:2015 ou ISO 22005), como também naquilo que envolve qualquer um dos elementos que compõem o armazém.
Um sistema de gestão de armazém como o Easy WMS regista em tempo real todas as etapas pelas quais um produto passa num armazém
Um sistema de gestão de armazém como o Easy WMS regista em tempo real todas as etapas pelas quais um produto passa num armazém

O papel do software na rastreabilidade interna

Um sistema de gestão de armazém desempenha um papel fundamental para garantir a rastreabilidade interna das referências. O software é responsável pelo registo dos movimentos das mercadorias, o que proporciona uma visão completa de cada unidade de carga: que produto é, em que consiste, a que pedido pertence e por onde passou.

O SGA atua como um unificador de informações para todos os elementos da cadeia de fornecimento. Em cada pedido recebido, o ERP comunica ao SGA o que um contentor inclui, que materiais - e de onde eles vêm-, a placa do camião que fará a entrega, entre muitos outros dados.

Portanto, a digitalização da gestão do armazém através de aplicações como um SGA, um ERP ou um MES garante não apenas um controlo completo do stock, mas também saber em tempo real em que operação está cada produto, como cada pedido foi feito pelo armazém e qual lote foi fabricado com cada matéria-prima. Tudo isso permite que o cliente final - ou qualquer fornecedor - possa rastrear todos os processos -e quem esteve envolvido em cada um dos deles─ pelos quais o produto passou.

Além disso, a rastreabilidade interna é indispensável, ainda mais para aquelas organizações que possuem processos de produção nos seus armazéns. É por isso que alguns softwares incluem módulos para sincronizar o buffer de fornecimento com o buffer de produção, para garantir um processo ininterrupto. Este é o caso, por exemplo, da funcionalidade avançada do SGA Easy da Mecalux para Produção.

Um sistema de comunicação como os QR codes são ideais para garantir a rastreabilidade interna num armazém
Um sistema de comunicação como os QR codes são ideais para garantir a rastreabilidade interna num armazém

Exemplo real de um sistema de rastreabilidade interna

Vejamos um exemplo da implementação de um sistema de rastreabilidade interna. Especificamente, o caso da Nicopan, fabricante de produtos de padaria e confeitaria que controla mais de 9.000 itens perecíveis nas suas instalações.

A empresa instalou o sistema de gestão de armazém da Mecalux, o Easy WMS, para gerir todo o fluxo de trabalho das suas instalações logísticas. Isto permitiu que a empresa tivesse informações em tempo real sobre todos os produtos em todos os seus armazéns.

Com este software, os operadores podem identificar cada referência: onde ela está localizada e quais são as suas características. Graças aos terminais de radiofrequência, ligados ao SGA, eles podem aceder a todos os detalhes de um produto simplesmente ao digitalizar o seu código de barras. Por sua vez, o gestor de logística é agora capaz de rastrear com precisão as mercadorias que entram e saem, o que é particularmente importante uma vez que a empresa recebe mercadorias tanto de fornecedores externos como de produção interna.

Em resumo, com implementação de um software de gestão de armazém, esta empresa conseguiu sincronizar o armazém com o centro de produção, alcançando uma logística eficiente e uma rastreabilidade completa dentro das suas instalações.

Rastreabilidade interna, fundamental na logística atual

Um SGA garante a implementação de um sistema eficaz de rastreabilidade interna, ou seja, garante um registo confiável de todas as características de cada contentor que entra e sai do armazém, assim como o monitoramento em tempo real de qual processo o produto passou, onde foi localizado e qual equipamento de manuseio ou qual trabalhador operou com ele.

Se deseja instalar um sistema que consolida a rastreabilidade interna nas suas instalações, não hesite em consultar um especialista da Mecalux. Muitas empresas já melhoraram os seus fluxos de informação e a eficiência das suas operações graças ao nosso software.