Gestor de logística: funções e perfil de um papel fundamental

30 Dezembro 2021

O gestor de logística é um dos perfis com maior procura em logística, devido à importância que este setor adquiriu nos últimos anos.  Hoje em dia, os usuários durante a sua experiência de compra interagem com as empresas através de múltiplos canais de venda. Por esta razão, a logística teve que se adaptar e se tornar o motor de múltiplas iniciativas para atender aos novos hábitos de consumo.

Nesse contexto, o gestor de logística ou gerente do armazém surge como um dos cargos de maior responsabilidade no organograma da empresa. Este perfil profissional deve ter capacidade de liderança e atuar ao lado do gerente de produção — e demais departamentos — para fazer frente aos novos cenários que se desenham no mercado.

Neste artigo, vamos explicar as funções que o gerente de armazém cumpre, que formação e habilidades são necessários para fazer seu trabalho e como um SGA pode ajudar a gerir melhor todos os recursos do armazém e tomar as melhores decisões para o negócio.

Quem é o gestor de logística?

O gestor de logística é a pessoa responsável por supervisionar tudo o que acontece no armazém. A sua missão é planear, dirigir e coordenar as atividades de abastecimento, reposição, armazenagem e distribuição de materiais e produtos da empresa. Um dos seus objetivos principais é otimizar o espaço do armazém e as tarefas que são realizadas nele.

É uma posição de alta responsabilidade, pois a sua função está intimamente ligada à sustentabilidade e ao desempenho de todo o negócio. Um armazém produtivo ajuda a empresa a alcançar bons resultados, melhorando a qualidade do serviço prestado e, consequentemente, a satisfação do cliente.

A armazenagem é um dos principais elos da cadeia de abastecimento. Por isso, o gestor de logística atua diretamente com o gerente da produção, devendo também participar das etapas de produção dos artigos, desde a conceção e materialização até a distribuição e entrega nos pontos de venda. Essas duas funções devem ser comunicadas e coordenadas continuamente de forma a garantir a correta fabricação do produto e sua entrega ao cliente final de forma eficiente.

Digamos, por exemplo, que a empresa pretende lançar um novo produto no mercado. Para isso, o gerente de produção e o gerente de logística devem colocar sobre a mesa e definir muitas questões, entre outras: que matérias-primas e recursos são necessários para fabricar aquele item ─lista de materiais ou BOM─ e, portanto, quando as matérias-primas devem ser enviadas para as linhas de produção, ou sob quais condições os produtos acabados devem ser armazenados.

Quais são as funções do gestor de logística?

O gerente do armazém garante que todas as operações sejam fluidas e tenham a máxima garantia de segurança. Vamos ver quais são suas tarefas e funções específicas:

  • Liderar a equipa: deve supervisionar, orientar e atribuir responsabilidades aos profissionais do armazém (tarefas de armazenagem, preparação de pedidos, limpeza…) também deve avaliar o desempenho de cada funcionário e comprovar que trabalhem de forma adequada.
  • Priorizar a segurança: uma das principais funções do gestor de logística é desenvolver um plano de prevenção de riscos de acordo com as tarefas e a natureza de sua instalação. Este plano inclui a realização de uma inspeção técnica anual do estado das estantes. Nessa inspeção, além do estado das estantes, são avaliadas as condições das paletes, a adequação dos empilhadores e unidades de carga às estantes, bem como a correção das manobras pelos operadores.
  • Liderar a receção e expedição: o gestor de logística deve planear quais etapas seguir e garantir a realização das mesmas. Além disso, é o responsável por tomar as decisões em caso de imprevistos.
  • Controlo de inventário: significa acompanhar a mercadoria, tanto o produto acabado quanto a matéria-prima. Não há dúvida de que o princípio básico da logística é ter a mercadoria sempre à disposição quando ela é necessária. A rutura de stock tem um impacto muito negativo no negócio (atrasos na entrega de pedidos, má imagem corporativa, etc.), algo que deve ser evitado a todo custo.
  • Otimizar o espaço: a falta de espaço é uma das maiores preocupações ao gerir um armazém. Por isso, uma das funções do gestor de logística é distribuir o espaço (layout do armazém) de forma lógica e eficiente. Por exemplo, em grandes armazéns, as mercadorias podem ser divididas em setores e distribuídas entre as diferentes áreas. Uma boa organização do espaço resulta em maior desempenho e agilidade dos operadores para localizar as referências.
  • Planear a estratégia logística: trata-se de garantir o bom funcionamento de todas as atividades do armazém. Isso inclui:
    1. Elaborar a política de abastecimento e armazenagem de produção (que seria a logística interna da empresa).
    2. Decidir e organizar os processos de distribuição e entrega de cada produto.
    3. Supervisionar o picking.
    4. Garantir o fluxo de mercadorias e estudar como melhorar e aperfeiçoar todos os processos.
    5. Otimizar o transporte: reduzir custos, prazos de entrega e cronogramas.
    6. Prevenir incidentes e deterioração do armazém aplicando medidas de segurança e manutenção.

    Perfil profissional de um gestor de logística

    A formação é essencial para preencher uma posição tão exigente quanto esta. O responsável pela logística de uma empresa é normalmente uma pessoa com formação superior (geralmente economia, administração ou engenharia) e que, além disso, possui alguma especialização em logística.

    Porém, boa parte das competências e habilidades são adquiridas e aperfeiçoadas com a experiência, como aprender a liderar uma equipa ou a lidar com clientes e fornecedores.

    Por outro lado, como o gestor de logística deve lidar com todos os tipos de fornecedores, clientes e funcionários, é necessário que ele seja fluente em idiomas, que tenha habilidades de inteligência emocional como empatia e que saiba ouvir e negociar.

    Por último, não podemos esquecer outros tipos de habilidades mais técnicas que são essenciais para o exercício desta posição. Um gerente de armazém deve ter conhecimentos de informática, ser qualificado com tecnologia e demonstrar habilidades analíticas.

    Nos últimos anos, a tecnologia transformou completamente a logística a ponto de se tornar um dos pilares para maior competitividade empresarial. Uma empresa moderna não pode prescindir dela se quiser controlar e ter maior visibilidade de todos os processos que decorrem no seu armazém.

    Assim, no seu dia a dia, o gerente do armazém deve não só se sentir confortável com as tecnologias mais recentes, mas também saber explorá-las para conhecer todos os meandros do armazém e tirar proveito disso em termos de rentabilidade. E, por sua vez, deve ser capaz de converter os dados fornecidos pelo sistema de gestão (SGA) em informações aplicáveis, de forma a obter melhorias.

    Software para o gestor de logística

    Com a ajuda de um SGA, como o Easy WMS da Mecalux, o gestor de logística pode controlar e otimizar tudo o que acontece no armazém: stock, fluxos, como a mercadoria é manuseada, como os produtos são mantidos, como deveriam ser reabastecimento e preparação de pedidos, entre outras coisas.

    Além de um SGA, o gerente do armazém também precisa de certas ferramentas para análise de dados e monitoramento das atividades do armazém:

    • Supply Chain Analytics: com este software poderá verificar diversos indicadores sobre a situação do armazém, conhecer a fundo o estado do negócio e medir o desempenho de todos os processos. Incorpora painéis de controlo que cobrem grande parte das funcionalidades logísticas que devem ser levadas em consideração: entradas, saídas, precisão na preparação dos pedidos, clientes, qualidade, capacidade e utilização. Com esses painéis, dados úteis são recolhidos em todas as operações de armazém. Essas informações ajudam a realizar uma análise detalhada das operações, planear recursos, medir o desempenho do negócio e tomar decisões estratégicas para aumentar a produtividade.
    • Labor Management System: para melhorar o funcionamento do armazém, este software permite monitorizar a atividade dos operadores com vista a aumentar a sua eficiência. O seu funcionamento é muito claro: é responsável por registrar os tempos reais investidos na realização das tarefas e compará-los com os tempos padrão estimados para cada uma delas. Desta forma, o gestor de logística pode medir o desempenho do trabalhador e identificar facilmente as áreas de melhoria.
    O gestor de logística deve ter uma ferramenta de análise de dados para verificar o status do armazém e fazer melhorias
    O gestor de logística deve ter uma ferramenta de análise de dados para verificar o status do armazém e fazer melhorias

    Figura essencial na cadeia de abastecimento

    Sem dúvida, o gestor de logística é uma figura fundamental para o correto desenvolvimento das atividades de qualquer empresa. Sem ele, o caos tomaria conta do armazém.

    Levando em consideração que a logística é um setor em constante expansão e transformação, o gestor de logística também se deve atualizar para enfrentar com tranquilidade os novos desafios que vão surgindo. Para cumprir as suas obrigações com sucesso, no seu currículo não pode faltar em uma boa formação, fluência em idiomas, empatia e ser imbatível na análise de dados.

    Da mesma forma, o gestor de logística deve ser informado de todos os movimentos da cadeia de abastecimento em que sua empresa participa para passar pela cessão crivo da essa informação graças à análise de dados e poder corrigir posteriormente processos ineficazes. Essas ferramentas computadorizadas farão com que exerça controlo absoluto sobre as suas operações e farão a diferença entre um armazém lucrativo e um cheio de ineficiências.

    Na Mecalux, temos soluções de software que vão levar a sua empresa à vanguarda do seu setor e ajudar o seu gestor de logística a tomar decisões e a atingir os objetivos traçados. Entre em contato connosco para descobrir em detalhes como o Easy WMS e o módulo Supply Chain Analytics podem melhorar efetivamente o seu negócio.