A realidade aumentada e os wearables catapultam a logística para o futuro

29 Julho 2021

A realidade aumentada e os equipamentos wearables chegaram à logística e aos armazéns para ficar. Num cenário como o atual, em que o e-commerce e a omnicanalidade surgem com força, as empresas estão a pensar em como obter maior produtividade e como melhorar todos os seus processos - principalmente, a preparação de pedidos. A tecnologia tem-se consolidado como a única resposta a este desafio, facilitando e potencializando o trabalho dos operários para que possam fazer frente ao crescimento da procura.

O mercado de wearables está em alta. Segundo estudo da consultoria GlobalData, esse setor irá avançar fortemente nos próximos anos, atingindo 54 milhões de dólares em 2023, como resultado da adoção em setores como saúde, retalho e logística.

Neste artigo iremos explicar as aplicações de wearables e realidade aumentada na logística, bem como os dispositivos mais comuns que podem ser encontrados em um armazém.

O que é um wearables?

Os wearables são dispositivos eletrónicos, geralmente na forma de objetos do cotidiano (relógios, pulseiras, anéis, roupas e outros acessórios). Esses dispositivos podem monitorar variáveis ​​com seus sensores, exibir certas informações e avisos ao usuário, além de receber/transmitir dados pela internet.

No setor logístico, os wearables recolhem dados sobre o desempenho do armazém e do trabalhador, o que facilita tomar melhores decisões nas instalações.

Embora ainda em desenvolvimento, a realidade aumentada também tem algumas aplicações na logística. Esta tecnologia permite-nos ver o nosso ambiente através de um dispositivo (smart glasses, smartphone ou tablet) com uma camada de informação que se sobrepõe ao campo visual.

Com a realidade aumentada é possível visualizar e analisar a distribuição do armazém
Com a realidade aumentada é possível visualizar e analisar a distribuição do armazém

Os wearables e realidade aumentada entram no armazém

Os wearables e a realidade aumentada conseguem multiplicar o desempenho dos processos no armazém, proporcionando maior eficiência ao trabalho dos operadores que realizam as tarefas de armazenagem e preparação de pedidos.

Um bom exemplo de aplicação pode ser visto quando o leitor de código de barras dificulta o manuseio de uma mercadoria volumosa com as duas mãos. Aqui, os wearables podem ser usados ​​para que o operador tenha as mãos completamente livres e recolha os produtos confortavelmente.

Por sua vez, a realidade aumentada aplicada ao picking poderia agilizar muito a preparação do pedido, pois os operadores seriam capazes de ver instantaneamente onde está localizado o item a ser recolhido ou o espaço onde um produto deve ser colocado. Essa tecnologia pode representar um avanço no armazém cada vez mais complexo que incorpora operações como kitting e devoluções.

Em todos os casos, os wearables são ligados a um sistema SGA, como o Easy WMS da Mecalux, que envia as instruções aos operadores. Da mesma forma, é o mesmo software que gere os dispositivos e os atribui aos usuários correspondentes.

O poder de um SGA com o uso de wearables tornam o trabalho no armazém muito mais ergonómico. Os operadores terão apenas que seguir as instruções do SGA, para que possam trabalhar com mais rapidez, segurança e sem erros.

Os tipos mais comuns de wearables no armazém

Vamos ver quais são os wearables mais usados ​​no armazém e como eles são capazes de aprimorar o trabalho dos operadores:

Voice picking

É uma das soluções mais difundidas do mercado. O voice piciking consiste em auriculares e um microfone, junto com um dispositivo de monitoramento (do tamanho de um telemóvel), que geralmente é colocado na cintura da operadora ou simplesmente no bolso.

Os operadores recebem as instruções (qual produto recolher, onde localizar, qual quantidade extrair, onde depositar a mercadoria, etc.) através dos auriculares e confirmam que o fizeram em voz alta.

O picking por voz é um dos wearables mais populares do mercado
O picking por voz é um dos wearables mais populares do mercado

Óculos de realidade aumentada

Os óculos inteligentes são muito eficazes para trabalhar com realidade aumentada. Trata-se de óculos que possuem câmara embutida que identifica os produtos por meio da leitura do código de barras. Também incorporam um ecrã virtual na qual os operadores veem os pedidos que devem atender (a que corredor se dirigir, a quantidade de itens a recolher e onde colocá-los).

A realidade aumentada agiliza qualquer processo na cadeia de abastecimento, especialmente o picking. Com esta aplicação, o operador tem a picking list ou lista de picking no seu campo de visão e pode ver onde o produto de que precisa está localizado enquanto se move para retirá-lo.

Os óculos inteligentes têm muitas vantagens: são leves, confortáveis ​​de usar e oferecem uma imagem nítida.

Os óculos de realidade aumentada são eficazes para preparar os pedidos no armazém
Os óculos de realidade aumentada são eficazes para preparar os pedidos no armazém

Scanner de anel

É um pequeno dispositivo colocado num dedo como um anel (daí o nome) para capturar e ler códigos de barras com rapidez e precisão. Apesar de ser transportado manualmente, é tão leve que o operador tem total mobilidade para manusear a mercadoria.

Este dispositivo consome pouquíssima energia, garantindo grande autonomia. Além disso, os modelos mais comuns do mercado podem ser usados ​​tanto por destros como por canhotos (podendo passar de um operador para outro no final dos turnos).

O scanner de anel deve estar ligado ao SGA para registrar todas as informações que foram capturadas durante a leitura de um código de barras.

O scanner de anel montado no dedo permite a captura e leitura rápida e precisa do código de barras
O scanner de anel montado no dedo permite a captura e leitura rápida e precisa do código de barras

Computador corporal

É um pequeno computador que cabe no braço. No ecrã, o operador consulta as diferentes indicações do SGA e, graças a sua interface tátil, pode confirmá-las quando as tiver terminado para receber mais.

É um sistema muito prático e intuitivo, já que o operador tem todas as informações literalmente no seu braço e pode consultar as ordens que deve executar sempre que precisar.

Este computador pode ser ligado a outros dispositivos. Por exemplo, é comum combiná-lo com o scanner de anel para que o operador siga as instruções do SGA olhando para o ecrã que carrega no braço e identifique cada produto com o scanner que tem no dedo. Desta forma, as mãos dos operadores puderam ficar completamente livres, facilitando o seu trabalho e consequentemente aumentando o seu desempenho.

O computador corporal encaixa-se no braço para que o operador leia as instruções do SGA com facilidade
O computador corporal encaixa-se no braço para que o operador leia as instruções do SGA com facilidade

A situação dos 'wearables' no armazém

De acordo com a Zebra, uma das maiores fabricantes de dispositivos corporais do mundo e parceira da Mecalux, o uso dessa tecnologia pode aumentar a produtividade do armazém em 15% e, globalmente, reduzir os erros em 39%.

Isso é possível graças à flexibilidade e mobilidade que esses dispositivos oferecem. Os wearables são projetados especificamente para libertar as mãos dos operadores e facilitar o manuseio dos itens.

Atualmente, a desvantagem é o custo desses aparelhos, difícil de suportar para muitas empresas. Por outro lado, não é necessário apenas considerar o preço do aparelho em si, mas também a manutenção e eventuais reparações. A verdade é que, à medida que essa tecnologia começa a espalhar-se, é provável que se torne mais acessível.

Equipar os operadores com esses dispositivos abre a porta para uma nova realidade no armazém: a ligação. Cada operador está ligado com os seus colegas, podendo assim trabalhar em conjunto e coordenar as diferentes tarefas que devem realizar.

Parte do sucesso desta tecnologia deve-se à perfeita coordenação entre todos os operadores e elementos envolvidos no armazém, daí a necessidade de um sistema de gestão de armazém que dirija todos os movimentos. O Easy WMS da Mecalux é um software de referência no mercado. Entre em contato connosco para saber mais sobre as características e como pode obter maior produtividade com o uso de wearables no seu armazém.