Armazéns verticais e carrosséis verticais ou horizontais

As modalidades de armazenagem para cargas pequenas e médias, baseadas numa estratégia do produto ao homem, representam uma redução de tempo e esforço e, portanto, melhoram a eficiência. Não é necessário que o operário se desloque, apenas deve escolher as unidades de cada caixa ou contentor que lhe são proporcionadas mediante um sistema automático na sua posição de trabalho. Embora atualmente o método do produto ao homem mais utilizado seja o sistema miniload, algumas empresas ainda conservam as suas antigas instalações com armazéns verticais e carrosséis. Seguidamente, especificamos as diversas soluções utilizadas para armazenar e despachar as unidades de produto.

Armazém vertical automático (Clasimat)

A principal qualidade dos sistemas de armazenagem vertical, tal como o denominado Clasimat, é o máximo aproveitamento da altura disponível com a menor superfície utilizada.

Um armazém vertical é composto por uma estrutura fechada, semelhante a um armário enorme, com localizações interiores na parte da frente e de trás onde se depositam bandejas especiais que armazenam a mercadoria.

Armazém vertical automático

Armazém vertical automático

Entre as duas colunas de localizações desloca-se uma lançadeira com movimento vertical. O sistema pode ter até 15 m de altura e existem dois modelos de bandeja, um de 600 mm e outro de 800 mm de profundidade, que podem ter um comprimento que se situa entre 2.000 e 4.200 mm (aproximadamente).

Cada bandeja pode conter uma só referência ou mais de cem, dependendo do tamanho e das configuração utilizadas. As bandejas podem ser transparentes, ter gavetas específicas ou compartimentos flexíveis e reduzidos.

Quando um operário seleciona no ecrã a referência de que necessita, a lançadeira desloca-se em vertical até ao nível onde se encontra o produto, extrai a bandeja e move-se, novamente de forma vertical, até uma abertura da estrutura disponibilizada ao nível do posto de picking. Nesse momento, o operário deve extrair as unidades necessárias da bandeja correspondente.

Partes de um armazém automático

Partes de um armazém vertical automático:

1. Barreira de proteção
2. Indicador da posição dos produtos (opcional)
3. Ecrã display de dados

Os carrosséis

Na mesma família dos armazéns verticais também estão incluídos os carrosséis (tanto verticais como horizontais). Trata-se de sistemas que baseiam a sua operação numa estrutura na qual se movimentam os produtos, quer por rotatividade vertical, quer porque seguem um caminho paralelo ao solo da instalação. Ambos os sistemas facilitam o picking dos operários, uma vez que a mercadoria vem até eles, porém, atualmente esses sistemas estão em desuso.

a) Carrosséis verticais 

Os carrosséis verticais consistem numa estrutura em cujo interior gira, verticalmente, uma série de estantes, cabides, etc., onde se armazena a mercadoria. Uma parte dessa estrutura fica aberta para que o operário possa retirar a mercadoria do sistema e, posteriormente, possa fazer uso dela.

Sistema de armazenagem automática vertical para bobinas.

Os carrosséis podem adaptar-se para armazenar produtos muito variados. Nesse caso, trata-se de um carrossel vertical para bobinas.

b) Carrosséis horizontais (Spinblock)

Da mesma forma que existem carrosséis verticais, também há horizontais, como os denominados Spinblock. Essas soluções aproveitam um sistema mecânico de movimentação lateral para levar a mercadoria ao operário, que se encarrega de extraí-la sem ter que sair do seu posto.

O sistema baseia-se numa máquina dotada de uma estrutura com guias a partir das quais há módulos compactos suspensos que, por sua vez, estão unidos entre si. A guia descreve uma forma oval, por isso os módulos se deslocam em sentido horizontal.

Considera-se o carrossel horizontal como uma máquina de alto rendimento de picking e, para facilitar essa operação, podem incorporar diferentes elementos de ajuda como dispositivos pick to light e put to light, ecrãs auxiliares, botões de validação, mesas multiencomendas e leitores de códigos de barras.

Carro de Transferência horizontal automático Spinblock.

Carrossel horizontal automático

Dado que o maior inconveniente dos carrosséis horizontais consiste na dificuldade de repor as mercadorias que armazena, as reposições apenas podem ser efetuadas quando não estejam a ser preparadas encomendas, por isso é necessário conhecer bem os fluxos de rotatividade das mercadorias do armazém antes de o implantar. Geralmente, destinam-se unicamente a produtos de rotatividade média (B) e, em alguns casos, de baixa rotatividade (C), em qualquer caso, isso depende do tamanho das mercadorias e do seu consumo. Essas soluções não costumam ser utilizadas para armazenar produtos de alta rotatividade (A), porque o ritmo de saída que podem oferecer não é suficiente para produtos com tanta procura.

Other topics in this category