Qual a diferença entre picking e packing?

25 Março 2020

O picking e o packing são duas operações cruciais para o funcionamento do armazém. Pode dominar as regras básicas do armazém, porém em logística a aprendizagem e a melhoria dos processos nunca terminam. Você sabe quais são as diferenças entre esses dois processos?

Em que consistem? Que tarefas as compõem e as diferenciam? No nosso artigo aprofundaremos nas definições de picking e packing e nas principais estratégias para otimizar tais processos.

Definição e diferenças entre picking e packing

Os termos picking e packing, ambos anglicismos, foram inseridos no vocabulário logístico global e identificam grupos de tarefas que ocorrem em qualquer armazém ou centro de distribuição.

- Picking no contexto logístico

No âmbito logístico, o vocábulo inglês picking é amplamente utilizado como sinônimo de preparação de pedidos. Considerando essa acepção comum, o picking ou preparação de pedidos seria composto por:

  • Planeamento prévio.
  • Percursos e deslocações.
  • • Recolha ou extração da mercadoria.
  • Verificação e preparação do pedido para sua expedição.

No entanto, se nos limitarmos ao rigoroso significado de picking em inglês, em contraposição a packing, este refere-se à ação de recolher ou extrair objetos, portanto abrangeria as primeiras etapas destacando-se a deslocação do operador até a estante e a extração do produto indicado.

- Packing ou acondicionamento de pedidos

Por outro lado, o packing refere-se ao processo de acondicionar e embalar os pedidos para a sua posterior expedição. As principais tarefas que esta operação engloba são:

  • Seleção do tipo de embalagem e empacotamento: realiza-se em função do tamanho e número de produtos e de as suas características específicas. A resistência da caixa e do material de enchimento adequado são fundamentais para preservar o conteúdo do envio em boas condições.
  • Verificação final em relação ao modelo, quantidade, peso e cubicagem ou peso volumétrico. Tal comprovação é essencial para cumprir o prazo de entrega caso ocorra previamente algum erro no picking e como garantia de que o pacote satisfaz os requisitos do serviço de transporte.
  • Etiquetagem para a sua expedição: é colada no exterior da caixa de papelão e contém o número de referência do pedido, o endereço de envio e, em ocasiões, também o código de tracking. Na etiqueta há um código de barras que, uma vez scaneado, permite aceder às informações relacionadas a ele garantindo a rastreabilidade.

Se a mercadoria sai paletizada do armazém, o processo de packing também englobará a montagem de paletes, que inclui a colocação das caixas, o enfardamento com cintas e/ou filme e etiquetagem. Por outro lado, é possível que, se forem enviadas paletes tal como estão armazenados, a tarefa de packing se reduza ao controle de qualidade e etiquetagem das cargas para a sua expedição.

Além disso, dependendo do método de picking seguido no armazém, pode acontecer que exista uma etapa intermediária entre o picking e o packing. Esta compreende a consolidação de mercadorias, ou seja, a reordenação e agrupamento dos produtos por pedido. Isso ocorre, por exemplo, quando o método utilizado é o picking por lotes ou, assim como o picking por ondas.

A relação entre os processos de picking e packing no armazém

Nos armazéns com um volume significativo de preparação de pedidos, é comum encontrar operadores que se encarregam de realizar as tarefas específicas de picking (extração e deslocações e outros que se encarregam do packing (verificação e finalização do processo de embalagem). Isso ocorre dessa forma para poupar tempo nas deslocações e na mudança de funções, permitindo que o ciclo de preparação de pedidos não pare em momento algum.

O picking e o packing costumam ser tarefas consecutivas, embora seja possível aproximá-las em termos de tempo se utilizarmos o método pick-to-box. Para que a coordenação seja precisa é necessário utilizar um Sistema de Gestão de Armazém.

Este, antes de iniciar a rota de picking, calcula o número de produtos e seu tamanho para selecionar antecipadamente o pacote que será utilizado. Portanto, depois de recolher o produto da estante, este já é colocado diretamente na caixa correspondente.

Um operador faz tarefas de picking num armazém que conta com o auxílio de um porta paletes
Um operador faz tarefas de picking num armazém que conta com o auxílio de um porta paletes

Como tornar os processos de picking e packing mais eficientes?

Contar com um software de gestão de armazém abre um imenso leque de possibilidades para a otimização dos processos de picking e packing. Algumas delas são:

1. Limitar o número de movimentos e pontos de contato

Em logística confirma-se o famoso lema de “menos é mais”. Quanto mais reduzido for o número de manuseios e movimentos, maior eficiência se vai conseguir. Além disso, as segundas oportunidades são muito custosas: o ideal é que as tarefas de picking e packing saiam bem na primeira vez.

Para limitar as deslocações, é recomendável:

  • Contar com um software de picking: o sistema integra uma radiografia digital do layout do armazém, sendo capaz de criar as listas de pedidos que devem ser preparadas considerando a localização dos produtos e o planeamento de expedição, entre outros parâmetros logísticos.
  • Analisar a política de gestão das localizações utilizada de acordo com a rotatividade das referências.
  • Comprovar se as estações de preparação de pedidos ou a área dedicada para tal conta com todo o equipamento e material de embalagem necessário, para assim ter tudo à mão e evitar interrupções nos processos.

2. Analisar a eficiência do método de picking

A realidade logística está em contínua mudança e o armazém deve adaptar-se a novos métodos e tecnologias com o objetivo de oferecer um serviço de qualidade ao cliente. Portanto, nesse sentido, os WMS são uma importante ajuda para testar modificações nos procedimentos de picking e packing. O software de gestão permite compilar dados e mostrá-los como KPI para fazer a análise e avaliação das operações no armazém.

O sucesso da otimização do picking e packing consiste em dividir ambas as operações em subprocessos e calcular o tempo padrão dedicado para realizar cada um deles. Nesse sentido, o módulo Labor Management System facilita o controle e a melhoria da produtividade dos operadores.

3. Avaliar soluções de automatização

Uma das áreas do armazém com mais opções e potencial para a automatização são os processos de picking e packing. O picking entendido como extração e transporte de cargas tem uma longa trajetória nas instalações logísticas. Sistemas como transelevadores ou transportadores formam uma tecnologia muito eficaz para agilizar as tarefas mais repetitivas de transferência e manuseio de cargas.

O packing também pode ser completamente automatizado com robôs antropomórficos, embora seja uma solução que, devido ao seu custo e desempenho, é adequada apenas para instalações com um imenso volume de pedidos que também devem seguir padrões regulares.

Nos armazéns com uma carga de picking e packing muito intensa nem sempre é possível automatizar a tal nível por causa da volatilidade e imprevisibilidade da procura. Esse é o caso de muitos armazéns de e-commerce.

No entanto, sistemas automáticos menos ambiciosos, tais como os dispositivos de picking por voz ou os robôs que auxiliam na preparação de pedidos podem aumentar significativamente a produtividade dos trabalhadores nessas tarefas.

Os transelevadores extraem as cargas das estantes e fazem seu transporte automatizando ou picking
Os transelevadores extraem as cargas das estantes e fazem seu transporte automatizando ou picking

4. Não se esqueça da embalagem

Para otimizar o packing não podemos ignorar o material de embalagem utilizado no armazém. Os exemplos a seguir facilitam o processo de embalagem dos produtos:

  • A instalação de máquinas automáticas de embalagem: os sistemas que produzem enchimento de papel ou sacos de ar são proporcionados diretamente ao operador para que este simplesmente os coloque no pacote. Da mesma forma, as enfardadeiras automáticas plastificam e lacram as paletes evitando a tarefa manual do trabalhador.
  • A padronização das embalagens limita o espaço dedicado a esses materiais evitando erros e desperdícios em pacotes que tenham uma grande variedade de medidas.
  • As caixas automontáveis poupam tempo e reduzem os manuseios feitos pelos operadores.

As fronteiras entre picking e packing confundem-se com frequência, uma vez que o fluxo de materiais no armazém está altamente inter-relacionado. No entanto, é conveniente fazer uma análise profunda de cada subprocesso até encontrar os pontos de conflito que questionam a eficiência da instalação.

Se a complexidade do picking e packing no seu armazém estiver a prejudicar a gestão fluida da instalação, não hesite em entrar em contato conosco: um dos nossos especialistas encarrega-se de ajudá-lo a encontrar a solução necessária.